Busca no Site

Interativos

Receba nossas novidades



Receber em HTML?

Enquete

Sacerdócio Feminino
 

Compartilhe este site

Faça um pedido de oração





  
Informe o código de segurança para confirmar:
 

A Linda Senhora e o Belo Menino PDF Imprimir E-mail

Eusébio, sério historiador da primeira era, narra o seguinte fato, aliás, confirmado por diversos escritores. Vivia em Constantinopla no ano de 552, um casal de judeus, que tinha um só filho.

Este menino, acompanhando certa vez outros rapazes cristãos, entrou com eles na Igreja. Havia uma bela imagem de Nossa Senhora com o Menino Jesus nos braços. O menino sentiu-se fortemente atraído por aquela linda Senhora, com um sorriso amável e o belo menino que carregava em seus braços. Não se cansava de olhar continuamente para ela.

Quando mais tarde os companheiros foram ao altar para receber a Santa Comunhão, juntou-se a eles, recebendo também a Santa Hóstia, sem saber, porém, o que era.

Voltando para casa, o pai lhe perguntou porque havia demorado.

Contou então o menino que havia ido com seus companheiros à Igreja onde havia uma senhora muito linda, e, que depois, recebeu com eles a Hóstia. A mãe disse-lhe: Já vejo que você vai tornar-se cristão, pois, recebeu a Hóstia. Mas, o pai ficou furioso, mal podendo dominar-se.

Logo que a mãe saiu, pegou o filho e o colocou no forno de vidro que estava em chamas, fechando asperamente a porta.

A mãe ao voltar, perguntou pelo filho, procurando-o, por muito tempo, por toda a parte sem que o pai mostrasse algum interesse pela sua aflição.

Notando, porém, os olhares esquisitos e furtivos, que de vez em quando, ele lançava à porta do forno, surgiu-lhe à mente uma terrível suspeita.

Chegando ao forno, pareceu-lhe ouvir a voz do filhinho. Abre, imediatamente a porta e vê seu filho no meio das brasas, sem que elas o prejudicassem. O rapazinho, saltando alegre desse lugar de tormento, lançou-se aos braços da mãe e contou-lhe: “Aquela linda Senhora da Igreja veio apagar as chamas, trouxe-me água para eu beber, e, quando senti fome, trouxe-me comida e cobriu-me com o se manto azul para eu não sentir o calor do fogo”.

Mãe e filho abraçaram a religião católica, recebendo o Batismo, sob a proteção do imperador Justiniano. O pai, apesar do milagre, aferrou-se em sua obstinação, sendo por seu crime condenado à morte.

Como Nossa Senhora protege os seus devotos e, sobretudo, aqueles que recebem, devotamente, a Jesus na santa Comunhão!


Extraído do livro da Ed. Vozes: Leituras Eucharisticas de 1935 - Frei Mariano Wentzen, cedido pela dileta amiga de Caxambu - MG, Geralda Maia. (Pág. 60 - O Pequeno Judeu)

Colaboração de Maria de Lourdes Salles e Passos Niterói - Paróquia são Francisco Xavier Padres: Pedro e Rafael (Orionitas)