Busca no Site

Interativos

Receba nossas novidades



Receber em HTML?

Enquete

Pessoas divorciadas devem ter acesso à Eucaristia?
 

Compartilhe este site

Faça um pedido de oração





  
Informe o código de segurança para confirmar:
 

A Santa Missa Sobre as Ondas do Mar PDF Imprimir E-mail

Quando rebentou a revolução francesa, tentaram extinguir a religião de Jesus na França. Destruíam as Igrejas, os sacerdotes tinham de fugir ou eram condenados à morte. O povo resistiu heroicamente, sobretudo na Província da Bretanha. Jean Bom S. André, conhecido revolucionário disse ao “maire’ de uma povoação: “Destruirei vossas igrejas, para que nada exista que possa lembrar vossa antiga superstição”. O camponês respondeu-lhe calmamente: “Em todo o caso, haveis de nos deixar as estrelas, e elas se avistam de mais longe que as torres de nossas igrejas”.

Era impossível celebrar a Santa Missa, não só porque as igrejas estavam fechadas, também porque o sacerdote e os fiéis incorriam em gravíssimos castigos. Devia-se procurar um esconderijo, um celeiro, ou lugar semelhante em altas horas da noite.

Em Crozon também a Igreja estava fechada. Não havia esconderijos. Mais eis como o amor de Jesus, resolveu o caso naquela situação: Meia-noite, sobre as ondas do mar, por entre as trevas da noite, cintilava uma pequena luz.

Por entre o soturno marulhar das vagas, ouve-se o sonoro tinir de uma campainha. Centenas de canoas largam da praia e singrando as águas rumam em direção àquela luz. O som da campainha se tornava mais próximo, a luz já era bem visível. Via-se claramente uma barca. Nela, um simples altar sobre o qual o sacerdote vai celebrar a santa Missa.

As numerosas canoas acercavam-se da barquinha e as pessoas se ajoelhavam. Silêncio misterioso e profundo! Quando o sacerdote na consagração levanta a Santa Hóstia, que brilha ao belo luar, centenas de olhares saúdam respeitosamente a Jesus Sacramentado, fiéis batem no peito e pela calada da noite repercute além, o brado das vozes. “Ó Jesus, creio em vós, ó Jesus espero em vós, ó Jesus amo-vos de todo o meu coração!”

E o soluçar da multidão vai embeber-se no monótono murmúrio das ondas a marejar. As estrelas cintilam no escuro do firmamento e olham admiradas para este magnífico espetáculo de fé do povo católico.

Anjos, sobem e descem levando as preces e as lágrimas de um povo a quem querem roubar a sua fé, trazendo do alto, conforto e bênçãos divinas. Os homens daquela triste época, na marcha inalterável do tempo, já desapareceram, a fé cristã, porém, resiste a tudo! Ainda hoje, naquelas regiões Jesus é amado e adorado. Mostraram-se dignos dos primeiros cristãos que resistiram às perseguições entre milhares de sacrifícios.

Oxalá nossa fé fosse tão grande, tão viva como daquele nobre povo.

Leituras Eucharísticas-Ed. Vozes - Frei Mariano Wentzen OFM-1935 - cedido pela dileta amiga Geralda Maia de Caxambu/ MG Colaboração de Lourdinha Salles e Passos Niterói /RJ
Pág.Pág.37-

JMJ Lourdinha Passos. Paróquia São Francisco Xavier. Niterói RJ . Padres: Pedro e Rafael