Busca no Site

Interativos

Receba nossas novidades



Receber em HTML?

Enquete

Você concorda com a condenação da Igreja ao uso de preservativos?
 

Compartilhe este site

Faça um pedido de oração





  
Informe o código de segurança para confirmar:
 

Aparições no Egito - Parte 2 PDF Imprimir E-mail
Escrito por Elbson Araujo   

Padre Henry Ayrout, reitor do Colégio da Sagrada Família (jesuíta) no Cairo, também declarou sua aceitação das milagrosas aparições da Virgem Maria, dizendo que, sejam católicos ou ortodoxos, somos todos Seus filhos e Ela nos ama a todos igualmente — e Suas aparições na Igreja Ortodoxa Copta de Zeitun assim o confirma. O Reverendo Ibrahim Said, chefe dos Ministros Protestantes Evangélicos no Egito na época das aparições, afirmou que as aparições eram verdadeiras.

Freiras católicas da ordem do Sagrado Coração também testemunharam as aparições e enviaram um relatório detalhado ao Vaticano. Na noite do dia 28 de abril de 1968, um enviado do Vaticano chegou, viu as aparições e enviou seu relatório a Sua Santidade o Papa Paulo VI de Roma.

A primeira página do jornal egípcio Al-Akhbar, de número 4946, veiculado no dia 5 de maio de 1968 (domingo), trazia o seguinte destaque na página de capa:

"Um pronunciamento oficial do Papa [ortodoxo] Kyrillos VI declara: A Virgem apareceu na Igreja de Zeitun. O pronunciamento diz: Centenas de cidadãos de várias religiões e seitas afirmaram sem dúvida alguma terem visto a Virgem, e todos eles concordam na mesma descrição das aparições. A Virgem apareceu em várias noites e diferentes formas, movendo-se e andando, olhando para os espectadores, abençoando-os e curando-os."

Embora tais fatos tenham sido tão maravilhosos, o desinteresse da mídia e a indiferença deste mundo fizeram com que pouquíssimas pessoas fora do Egito soubessem destas extraordinárias aparições.

Recentemente, em 1983, a aparição de uma mulher vestida de luz foi vista na Igreja de São Daiman em Shoubra, um subúrbio do Cairo. Também como em Zeitun, a mulher foi vista por centenas, banhada em luz, andando sobre a igreja em aparições que duraram até cinco horas. Em 1987, uma comissão concluiu sobre essas aparições:

"Demos graças a Deus por esta bênção ao povo do Egito, e pela repetição deste fenômeno. (...) Deus salve nosso país. Rezemos para que Ele guie o Egito e todos os seus filhos a pleno êxito. Que este fenômeno seja uma garantia de bem-estar para eles e para todas as nações."