Busca no Site

Interativos

Receba nossas novidades



Receber em HTML?

Enquete

Você concorda com a condenação da Igreja ao uso de preservativos?
 

Compartilhe este site

Faça um pedido de oração





  
Informe o código de segurança para confirmar:
 

Carta à uma irmã em Cristo PDF Imprimir E-mail
Escrito por Bete Garcia   

Querida Filha

Tá tudo bem aqui pelas bandas de São Sebastião do RJ. Nas vitrines dos shopings já é Natal, no meu coração um banzo explicável. Deus criou o mundo em seis dias e no sétimo descansou, amanhã começa a minha semana de "re-criação", meu mundo criado vai se transformar,você minha filha, prepara as "asas" para seu vôo nupcial.

Vai em direção ao velho mundo, criar seu novo mundo, me deixando qual uma árvore de Natal sem seus adornos, sem frutos, sòmente eu, a árvore.

Vou estar só, em toda a minha plenitude, porém feliz, realizada, podendo finalmente descansar de minha criação.

Passarei a admirar a obra viva, que tive a honra de abrigar, agora fisicamente de longe, me emocionar com seus progressos, com seus inevitáveis erros e certos, com seus frutos, que se Deus quizer hão de vir.

Vou então, caminhar na direção oposta, refazendo a estrada já percorrida, procurar por mim. Tentar me lembrar como era, antes de ter minha filha gerado, vou procurar por uma adolescente, que sonhava casar,ser mãe e acertar. Quando "encontrar" essa jovem, que um dia fui, perguntarei por seus planos, por seus sonhos, por seus ideais. Vou falar então de esperança, fé e caridade. E se a emoção permitir e Nossa Senhora abençoar, penso em ensinar-lhe mais uma oração que aprendi. Uma oração pelos filhos,para no dia a dia rezar:
"Ó Deus, Pai de todos os homens, a Vossa lei me lembra o sagrado dever de educar os meus filhos segundo a santa religião para a virtude e o céu. Eles pertencem mais a Vós do que a mim. Das minhas mãos os pedireis um dia. É a Vossa palavra: "Se alguém não tem cuidado dos seus e sobretudo dos de sua casa, negou a fé e é pior que o infiel" (I Tim 5,7).

Além do bem-estar temporal dos meus filhos me confiaste a maior responsabilidade: a santificação de suas almas.

Assisti-me, Senhor, e iluminai-me para que eu conheça as minhas obrigações e concedei-me a firme vontade e o máximo cuidado em cumpri-las.

Moderai o nosso amor natural: quantas vezes nos tornamos cegos em seus erros, perdoando-os facilmente, sem mostrar-lhes suas faltas e os prejudicando intensamente.

Dai-me inteligência para usar da severidade quando esta for necessária; dai-me brandura quando me faltar a paciência.

Livrai-me, Senhor, de todo o escândalo, para que sirva de modelo aos meus filhos, em tudo quanto é justo, bom e louvável.

Santificai, Deus de toda santidade, os meus filhos, para que Vos amem e respeitem; dai-lhes docilidade e obediência para que se tornem perfeitos.

Não Vos peço riquezas para eles, e sim saúde e força para se manterem na vocação que Vós lhes destinastes.

Preservai-os da escravidão das más paixões; conservai-lhes a pureza no meio deste mundo depravado. Concedei, Senhor, aos meus filhos boas companhias e exemplares guias; antes quero vê-los mortos do que vê-los em vida perdida.

Eu Vos entrego, ó Pai de bondade, cada um de meus filhos para os protegerdes e salvardes por toda a vida.

Assim tenho a firme esperança de poder dizer um dia: "Senhor, daqueles que me confiastes não perdi nenhum".

Amém."

P.S. Agradeço a Lourdes pela inspiração.