Busca no Site

Interativos

Receba nossas novidades



Receber em HTML?

Enquete

Pessoas divorciadas devem ter acesso à Eucaristia?
 

Compartilhe este site

Faça um pedido de oração





  
Informe o código de segurança para confirmar:
 

Maioria de espanhóis se consideram “católicos só de nome” PDF Imprimir E-mail
Escrito por ACI   

Uma pesquisa revelou que uma grande maioria dos espanhóis se declaram crentes –maioritariamente católicos- mas admite que a fé não influencia no exercício de sua sexualidade ou suas opções políticas.

O estudo, realizado pela fundação alemã Bertelsmann entre 21 mil pessoas de 21 países, sustenta que "quatro de cada cinco espanhóis (79%) são religiosos, e o 27% das pessoas se consideram inclusive muito religiosas".

Segundo a sondagem, uma de cada três mulheres e um de cada cinco homens espanhóis se declara “muito religioso”. Entretanto, “64 por cento dos espanhóis afirmam que a religião tem muito pouco ou nada de influencia” em sua sexualidade e 67 por cento declara que a religião não exerce nenhuma influência” em suas opiniões políticas.

A religião sim aparece como um fator muito importante na vida privada, nascimentos, matrimônios, falecimentos e na educação de seus filhos.

Pesquisa-a foi apresentada em Madri coincidindo com o terceiro Congresso Diálogo e Ação que se reune sob o título “Valores na Espanha e Europa: suas raízes e relevância no século XXI”.

Para 34 por cento dos pesquisados, ir à igreja regularmente é algo natural. Entre as pessoas acima de 60 anos, um de cada dois é muito religioso, mas somente 11 por cento dos menores de 30 anos se reconhece da mesma maneira.

Entre os países europeus, Espanha figura a metade de tabela. A religião é menos importante que em países católicos europeus como a Polônia ou Itália, mas maior que na França, Rússia, Reino Unido ou Alemanha.