Busca no Site

Interativos

Receba nossas novidades



Receber em HTML?

Enquete

Sacerdócio Feminino
 

Compartilhe este site

Faça um pedido de oração





  
Informe o código de segurança para confirmar:
 

O Músico de Deus PDF Imprimir E-mail
Escrito por Maria Carolina Proença   
Considerado pela crítica especializada como um dos melhores saxofonistas da atualidade, Urbano Medeiros nasceu na região do Seridó, na cidade de São João do Sabugi. Menino pródígio, aos 7 anos já tocava saxofone soprano na Filarmônica de sua cidade. Teve as primeiras lições de solfejo e prática instrumental com o seu pai maestro Bill Medeiros.  Nesta idade já chamava a atenção do povo  nas apresentações, por executar  com perfeição choros difíceis como "Espinha de Bacalhau" e outros.  Ficou marcado musicalmente  pelo resto da vida pelo acordeonista Sivuca que numa noite deu um um concerto sozinho no coreto de sua  cidade.  Aos 17 anos foi considerado pelo Ministério da Cultura como o "maestro mais jovem do Brasil", como regente da Filarmônica do Colégio estadual de Caicó.  Aos 18 era primeiro saxofonista - solista da Filarmônica do BEC - Batalhão de Engenharia e Construção, em Caicó (RN) e depois em São Gabriel da Cachoeira (AM). Morou muitos anos em São Paulo onde trabalhou como músico, radialista, comunicador e arte-educador.  É casado com Regina Mendonça e  pai de 4 filhos.  Já passou por mais 4.500 cidades do Brasil e do mundo divulgando a cultura brasileira e aplicando a música com finalidades terapêuticas para canceros, aidéticos, doentes mentais, pessoas depressivas, jovens drogados, etc... Concertos, palestras, cursos e vivências com os índios yanomamis e outros povos esquecidos e marginalizados. Corre mundos, levando a todos, ao vivo e pelos meios de comunicação, a sua arte e sua mensagem. Brasil, Argentina, Itália, França, Suiça, Portugal, Sardenha... É ouvido na Lituânia, Ucrânia, Iraque,  Afeganistão, Rússia, Egito, Israel, Líbano, Síria...   Suas gravações (10 Cds, 5 vídeos, dois livros escritos) viajam pelos quatro cantos da terra. "Cada nota que sai do meu instrumento tem uma missão: levar cultura e melhoria ao planeta terra" - confessa Urbano. Ultimamente Urbano tem sido pesquisado por músicos do leste Europeu que ficam encantados com a genialidade deste nosso músico seridoense.

ur_urbano.jpg

 O SAX RURAL DE URBANO MEDEIROS

Celebrado como um dos maiores saxofonistas da atualidade, Urbano Medeiros vive com sua família na bucólica Pará de Minas, cidade com cheiro de terra e de ruralidade. Aliás, acho mesmo que o seu nome encerra uma grande contradição: de urbano, ele só tem o nome. Um dia sugeri que ele acrescentasse o Rural. Algo como URBANO MEDEIROS RURAL. Eu sei que ficaria risível, mas, pelo menos, não seria tão contraditório, posto haver optado por viver sempre no interior do Brasil: de São João do Sabugy (RN) a São Gabriel da cachoeira (AM), com passagens por Campos do Jordão (SP), Paracatu (MG) e tantas outras cidades. Ele é tão urbano e igualmente tão rural.

Essa ruralidade aproxima Urbano de pessoas como Adélia Prado e Elomar, que escolheram a vida tranqüila do interior não somente para morar, mas para, principalmente, a partir dela, produzirem uma obra igualmente monumental.

Urbano optou, também, por um trabalho voltado para doentes depressivos, viciados, terminais... Sai de casa em casa tocando sax, pondo em prática o seu sacerdócio. Um sacerdócio na acepção mais profunda do termo. Faz um trabalho grandioso. Sem holofotes. Sem câmeras. Sem alardes. Ser um dos melhores saxofonistas do mundo não o torna orgulhoso. Pelo contrário, deixa-o “o menos de todos”. Sua música não se enquadra em nenhum esquema, em nenhuma tendência, muito embora seja perceptível uma for influência jazzística e armorial. Faz a músico do coração. Hesicasta. Vez por outra vemo-lo todo vestido de preto, qual monge saído do legendário Monte Athos, a República Monástica do Oriente. A música do Santo Efrém Sírio é-lhe tão familiar quanto a do potiguar Felinto Dantas, o músico agricultor que tem sua obra executada na Capela Sixtina, no Vaticano. Tem cheiro de terra. Lembra o canto dos pássaros; o vento que uiva na copa das árvores ou nas montanhas de Minas; o tilintar dos chocalhos. São sons extraídos da natureza, primeiro livro escrito pelo Criador. O som que flui do seu saxofone é brisa suave. Sua música santifica o mundo. Sacraliza-o . Mora em Pará de Minas, mas poderia ser em Ipueira (RN), Buritis (MG), Parintins (AM), perto da Casa Velha da Ponte, em Goiás (GO) ... Poderia ser aqui, ou aí. Não importa. Onde houver um cheiro de terra, de natureza, aí estará sua música, sua inspiração.

Vive correndo mundo, levando a todos a sua arte. Argentina. Itália, incluindo a Sardenha. França. Portugal. Inglaterra. Suiça .... é ouvido na Lituânia. Na Ucrânia. Na Rússia. Em Israel. Na Síria. No Líbano. Suas gravações viajam pelos quatro canto do mundo. Quem o ouve logo viaja junto com ele. Mas suas raízes estão sempre presentes. Mas não são raízes cultivadas no alto dos edifícios. São raízes crescidas às margens do rio Sabugy, na encosta da Serra do Mulungu. Raízes caatingueiras, sertanejas. Urbano Medeiros rural. O místico. O semita. O pai de Beth, de Paulo Misael e de Júlio. O descendente de Marrano misturado com Mouro. O viageiro. Um filho de Abraão apenas.

O PEREGRINO DO SAXOFONE

O artista cristão é um entre tantos ministros da Sagrada Liturgia e está a serviço do Reino de Deus. Por isso a arte nasce como fruto da mais pura contemplação. Assim é que dizemos que, o músico deve desaparecer para, nos sons, o Mistério se manifestar segundo sua vontade.
Urbano Medeiros, músico místico, pertencente à antiga estirpe dos músicos bíblicos, tocadores de trombetas de chifres de carneiro, é um artista singular. Ouví-lo é poder entrar em contato com a música das antigas sinagogas, com o canto gregoriano primitivo, com a música despojada dos “staretz”. Urbano é mais que um músico, é um Louco de Cristo, um eremita citadino com mulher e filhos, um mansageiro da paz e um pesquisador infatigável. E foi em suas pesquisas que ele teve um encontro com Santo Efrém Sirus, místico, poeta e músico, que marcou definitivamente sua vida e , consequentemente, seu trabalho artístico. Fez a grande viagem interior ao encontro de Santo Efrém , atravessando o árduo deserto do coração humano. Urbano é antigo, é desse tipo de homem que atravessou séculos, sempre à procura de Deus ... sua grande paixão.

Ah, como são poucas as palavras para expressar tão profundo sentimento, quão pequeno é o nosso coração para acolher a mensagem vivificante do Cristo, que tudo transforma, que tudo renova. E porque Urbano fala a linguagem dos anjos, a música, é que ele nos diz que, “quando toco, naquele momento eu estou conectado com Deus”, Senhor e Criador nosso. Talvez seja por isto que, ao ouví-lo, também nós nos sentimos, através de seu canto, intimamente ligados ao Pai de Amor.Sua música nos ajuda a melhor compreender o cosmo, a Ter ujma visão holística do universo, a sermos mais completos, a vivermos segundo o espírito. É a essa nova vida que nos levam os “ensinamentos do Mestre”, a um conhecimento mais profundo do nosso próprio ser-no-mundo, do nosso próprio “deserto interior”. Abençoado seja o ouvido que deixou-se nutrir por seus acordes, por sua divinal melodia.

Toque Urbano, acompanha-nos nessa maravilhosa “viagem” que faremos ao encontro do que existe de mais profundo em nosso ser-humano. Porque tudo converge para Ele ... para o mais profundo Amor! Deus seja louvado.

Tarzan Leão de Sousa
Da Academia de Letras do Noroeste de Minas, secretário de cultura de Paracatu, MG

urbano.jpg