Busca no Site

Interativos

Receba nossas novidades



Receber em HTML?

Enquete

Pessoas divorciadas devem ter acesso à Eucaristia?
 

Compartilhe este site

Faça um pedido de oração





  
Informe o código de segurança para confirmar:
 

Oração à Divina Misericórdia - Parte I PDF Imprimir E-mail
Escrito por Elbson   

CARDEAL D. EUSÉBIO OSCAR SCHEID

Arcebispo da Arquidiocese do Rio de Janeiro

 

Estamos chegando, mansamente, ao final de mais um ano. Nada melhor do que ajoelhar e adorar, erguer a voz e os sentimentos para que atinjam vosso Coração de Pai, Irmão, Espírito do Amor.

 

Senhor Deus e Pai, como filhos e filhas, pobres e confiantes,

Vimos à vossa paternal e maternal presença,

Desejosos de vos louvar, agradecer e pedir...

Aprendemos de tantos de vossos filhos e filhas do passado

A vos louvar com todo o afeto, o carinho de nossos corações:

Recordamos, especialmente, os Profetas, os Salmistas,

As pessoas mais achegadas a vós,

Em circunstâncias alegres e tristes,

Por vezes, desesperadoras...

Queremos seguir o caminho de luz,

Deixado e aberto por eles.

 

Nós vos louvamos por serdes nosso Pai, ou Papai!

Do mais íntimo segredo de vosso AMOR

Arrancastes a imagem com que nos criastes...

É essa imagem a nossa maior grandeza e dignidade:

Nela se baseia o respeito mútuo,

A solidariedade, a inviolabilidade

De cada pessoa, de cada vida, nascida ou por nascer.

Nós vos louvamos pelo mundo criado,

Confiado a nós... para o aperfeiçoarmos;

Jamais para danificá-lo ou destruí-lo.

Não permitais, ó Pai, a destruição e o descuido

Da Mãe-Natureza: ar, fontes, rios, mananciais,

Vargens e florestas, pássaros e animais...

 

Somos responsáveis por nós e pelo mundo criado

Porque nos destes o dom da liberdade,

Da escolha e da abertura ao outro.

Sim, ó Pai, somos seres sociais,

Destinatários de um BEM, supremo e comum,

Que nos honra e plenifica,

Julga e condena...

 

Nós te louvamos, ó Pai,

Pelo Dom da voz e da fala,

Com que nos dirigimos a Vós,

A cada irmão e irmã.

Que nossa fala seja terna e suave como a vossa,

Meiga e acariciante como a brisa da manhã,

Decisiva e orientadora como a vossa Lei,

Confortadora como palavra de perdão,

De incentivo, apoio e amizade sem igual!...

 

Nós vos louvamos pela inteligência,

Com que nos sentimos aparentados convosco,

Participantes de uma luz de outra vertente,

Raios de um sol sem ocaso...

Por esta luz penetramos até as profundezas,

Até os abismos da vossa Divindade,

As inescrutáveis riquezas

De vosso poder e majestade.

Dai-nos sempre, ó Pai, a humildade sincera

De buscar a vossa Verdade, custe o que custar...

Fomos feitos para ela,

Buscamo-la com ânsia e sofreguidão...

Até o despontar da Fé, mediante a Graça,

Até os resplendores da visão eterna,

A que somos chamados

Pela vossa infinita bondade e misericórdia.

 

Queremos enaltecer-vos, ó Pai querido,

Pela riqueza e beleza dos sentimentos,

Tão variados, tão nobres e, por vezes...

Desconcertantes e incontroláveis:

Sorrimos pelo sorriso que brota de vós,

Choramos pela tristeza de não amar-vos

Como vós o mereceis...

Choramos pela nostalgia que nos separa de vós,

Choramos, como crianças,

Que ainda não vos encontraram como Pai,

Crianças perdidas, cansadas...a caminhar.

Sentimentos de saudade do Infinito:

O encanto do Eterno nos atrai,

Chama-nos sem cessar...

Tateamos, na escuridão da fé,

Passo a passo, às apalpadelas,

Guiados pela vossa Mão divinal,

Na certeza de chegar ao termo.

Vós nos chamastes, nos buscastes,

Por sucessivas alianças, pactos de amor,

Perdoando-nos mais que “setenta vezes sete vezes”,

Perscrutando as curvas da estrada,

Os meandros da história...

Por onde voltaríamos.

 

Cansado de nos ver

Errantes e perdidos,

Na plenitude dos tempos,

Enviastes vosso próprio Filho

Como Irmão-Maior,

Filho com filhos e filhas, ingratos...

(continua na próxima semana)

 

 
Amai-vos 26/11/2003