Busca no Site

Interativos

Receba nossas novidades



Receber em HTML?

Enquete

Pessoas divorciadas devem ter acesso à Eucaristia?
 

Compartilhe este site

Faça um pedido de oração





  
Informe o código de segurança para confirmar:
 

Pecado Imperdoável PDF Imprimir E-mail
A ideia de um Pecado imperdoável vem da advertência que Jesus fez aos seus discípulos e se pode ler em S. Lucas :

- E a todo aquele que disser uma palavra contra o Filho do Homem, perdoar-se-á; mas, a quem tiver blasfemado contra o Espírito Santo jamais se perdoará. (Lc. 12,10).

Trata-se de uma afirmação como uma força de expressão para significar a gravidade da ofensa contra a majestade da Pessoa ofendida, o Espírito Santo.

Jesus morreu por todos sem qualquer excepção, portanto não há pecado que não possa ter perdão.

Todavia o pecado pode gerar uma situação de permanente resistência ao poder da graça, como é a resistência de um apóstata e, neste caso, para quem não quer o perdão, Deus não o impõe.

Ora os pecados contra o Espírito Santo são exatamente todos numa linha de resistência à força da graça que nos é dada através da Terceira Pessoa da SS. Trindade, o Espírito Santo.

S. Mateus inclui a blasfémia contra o Espírito Santo no contexto da cura de um possesso porque os fariseus disseram que Jesus curava com o poder de Belzebu, príncipe dos demónios. (Mt.12,24).

Os fariseus, assim, negavam a evidência do milagre pondo a ridículo o que Jesus fez.

E assim, Jesus disse-lhes a seguir :

- Por isso vos digo : Todo o pecado ou blasfémia será perdoado aos homens, mas a blasfémia contra o Espírito Santo não lhes será perdoada. (Mt.12/31).

Os fariseus não queriam admitir que eram eles que estavam errados.

Fazendo-se cegos rejeitavam não só a Jesus como também a dramática evidência do que tinham visto.

Rejeitar o milagre era obviamente rejeitar o Espírito Santo por cujo poder ele era operado e não pelo poder de Belzebu.

Atitudes de Pecado

Se estudarmos a Escritura com atenção, poderemos ver atitudes associadas com o pecado que não pode ser perdoado :

* Rejeitar o Espírito Santo.

* Opor-se obstinadamente a Deus.

* Não querer ver o pecado e não se arrepender.

* Não pedir perdão.

* Não querer perdoar aos outros.

* Deliberadamente rejeitar o sacrifício que nos foi oferecido por Cristo.

O pecado imperdoável é um deliberado endurecimento do coração e a teimosia em não querer ouvir a voz de Deus.

O Espírito Santo é a razão pela qual Deus opera nos nossos corações.

Mas como poderia Deus ajudar os fariseus se eles rejeitavam conscientemente o modo como Deus operava neles ?

O Catecismo da Igreja Católica diz :

1864. - "Quem disser blasfémias contra o Espírito Santo nunca mais terá perdão; é réu de eterno pecado"(Mc.3,2). Não há limites à misericórdia de Deus, mas quem recusa deliberadamente receber a misericórdia de Deus, pelo arrependimento, rejeita o perdão dos seus pecados e a salvação oferecida pelo Espírito Santo. Tal endurecimento pode levar à impenitência final e à perdição eterna.

PECADOS CONTRA O E. SANTO

Os pecados contra o Espírito Santo são mais graves porque rejeitam a dignidade da Terceira Pessoa da SS. Trindade, enviada pelo Pai para nos santificar e restaurar em nós a completa união com Deus.

Enquanto os outros pecados podem afetar o próximo, os pecados contra o Espírito Santo são imediata e diretamente contra Deus; por esta razão, os pecados contra o Espírito Santo destroem completamente a vida cristã porque rejeitam a fé, a esperança e a caridade.

Em última análise, os pecados contra o Espírito Santo são pecados contra a fé; e a oração para pedir o dom da fé é o melhor meio para evitar estes pecados.

Tradicionalmente apresentam-se como pecados contra o Espírito Santo :

1- Desespero de salvação.

2- Presunção de salvação pelos próprios meios.

3- Obstinação no pecado.

4- Resistência deliberada contra a verdade da fé.

5- Impenitência final.

Evidentemente, a salvação está ao alcance de todos, mas nem todos se podem salvar, porque muitos rejeitam voluntariamente a sua própria salvação.

Um ponto de reflexão que todos nós devíamos considerar !...