Busca no Site

Interativos

Receba nossas novidades



Receber em HTML?

Enquete

Você concorda com a condenação da Igreja ao uso de preservativos?
 

Compartilhe este site

Faça um pedido de oração





  
Informe o código de segurança para confirmar:
 

Pecado Venial , Grave e Mortal PDF Imprimir E-mail
Escrito por Prof Everton N Jobim   
O pecado é a ação livre e consciente do homem através da qual ele transgride as leis divinas. Trata-se , portanto , de um ato de desrespeito à misericórdia e à justiça infinitas de Deus , que nos deu a lei e a graça de Cristo , para que vivêssemos apartados do pecado e encontrássemos definitivamente a salvação e a vida eterna.
 

 

 

O pecado é um ato de desordem contra a organização natural do mundo e contra a nossa ordem interna , enquanto ser que possui uma dimensão material e espiritual , hierarquizada. O pecado quebra a hierarquia do espiritual sobre o físico , da razão sobre os sentidos , de bem sobre o mal. As consequências nefastas do pecado voltam-se , inicialmente , contra a própria pessoa e logo em seguida contra o próximo. O pecado é um ato de desamor do homem em relação a Deus e também em relação à própria pessoa e aos demais membros da comunidade. Por mais que o autor de um ato pecaminoso possa pensar estar agindo a seu favor.

O pecado entrou no mundo pela ação do homem primevo que desejou ir além dos limites impostos por Deus e assim apartou-se da graça , da paz e da justiça divinas , sendo expulso do estado de perfeição em que vivia , arcando com as consequências de seu ato de desamor por Aquele que nos deu a vida e a santidade , para a glória eterna junto a Ele. O homem , então , ficou sujeito ao erro , ao pecado , ao sofrimento e à morte . Somente a graça de Cristo poderia reparar essa afronta tremenda do homem a Deus e assim devolver a graça perdida às almas daquelas pessoas que livremente acolhem a mensagem redentora.
________________________________________________

Classificações do Pecado
________________________________________________

1 - Pecados veniais são pecados 'leves' ou perdoáveis pela via extra-sacramental , através da realização de obras penitentes. A Igreja , não obstante , recomenda vivamente a confissão dos pecados veniais.

São pequenas faltas morais , como , por exemplo , omitir algum fato , negligenciar quanto à obrigação como cristão no âmbito dos deveres impostos pela lei canônica , dizer alguma mentira sem maior importância e etc.

O pecado venial acumulado em nossas almas não pode se transformar em pecado mortal , porque o pecado mortal está associado a atos específicos. Um ato pecaminoso em termos veniais , não pode se tornar pecado mortal por acumulação. O pecado venial não agride a substância da lei divina e não apaga a graça em nossa alma. De todo modo , também é uma forma de afastamento do amor e da misericórdia de Deus que deve ser evitada. Principalmente porque , uma vez , acumulado , o pecado venial , nos predispõem ao pecado mortal e debilita a caridade em nossa alma .
________________________________________________

2 - O Pecado Mortal é aquela falta moral que sempre elimina a graça divina da nossa alma , rompendo a amizade do homem com Deus.

Cometemos pecados sempre quando agimos livre e conscientemente -- ações adotadas por constrangimento externo insuperável ou por ignorância , não constituem pecado , não implicam em culpa pessoal ao autor da referida ação pecaminosa. O único pecado herdado é o pecado original que é transmitido por geração sem responsabilidade pessoal do homem.

Existe gravidade diferenciada no âmbito dos pecados considerados de caráter mortal. Pecados mortais são , por exemplo , pecar contra os Dez Mandamentos e pecar contra o Espírito Santo.
______________________________________________________________

-- Os DEZ MANDAMENTOS proclamam :

1. AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS

2. NÃO PRONUNCIAR O NOME DO SENHOR, TEU DEUS, EM VÃO

3. LEMBRAR DO DIA DO SENHOR PARA SANTIFICÁ-LO

4. HONRA PAI E MÃE

5. NÃO MATAR

6. NÃO COMETER ADULTÉRIO

7. NÃO ROUBAR

8. NÃO LEVANTAR FALSO TESTEMUNHO CONTRA TEU PRÓXIMO

9. NÃO DESEJAR A MULHER DO PRÓXIMO

10. NÃO COBIÇAR AS COISAS ALHEIAS
_____________________________________________________________

A DOUTRINA DOS DEZ MANDAMENTOS

Amar a Deus sobre todas as coisa é a nossa primeira exigência religiosa . Quem não crê em Deus e não o adora nada poderá encontrar de Deus ; está procurando a condenação eterna. Com um mínimo de fé tudo é possível , sem fé nada é possível.

Por isso , não devemos blasfemar , não devemos usar o nome de Deus para ações não espirituais ou não éticas . Só devemos evocar o testemunho e a proteção divina para ações éticas e para a verdade.

Devemos cultuar a Deus publicamente e em um dia da semana obrigatoriamente - o dia do Senhor.

Devemos honrar nossos pais que nos deram a vida natural e a moral cristã , através da educação. Devemos ser dignos deles e prosseguir a sua obra.

Não matar é zelar pela vida daquele semelhante que foi feito com a dignidade de um filho de Deus , como uma imagem e semelhança , do Pai. Somente Deus tem o controle sobre a vida e a morte.

Respeitar a mulher é um compromisso de fidelidade matrimonial e espiritual , pois os homens e as mulheres unem-se em matrimônio por ordem divina.

Não mentir é uma obrigação nossa , pois o pai da mentira é satanás e Deus deseja sempre a verdade e a conduta ética de Seus filhos.

Não roubar é um dever moral , porque o próximo tem direito natural à propriedade para a sua subsistência , e também por vontade divina , expressamente manifestada nas Tábuas da Lei . Roubar é um ato imoral.
___________________________

OS PECADOS CONTRA O ESPÍRITO SANTO

O pecado contra o Espírito Santo consiste na rejeição da graça de Deus ; é a recusa da salvação. Implica numa rejeição completa à ação , ao convite e à advertência do Espírito Santo (Mc 3.29; Hb 10.8).

O Papa São Pio X - pontificado de 1903 a 1914 - em seu Catecismo Maior , ensinou que são seis os pecados contra o Espírito Santo:

1º - Desesperar da salvação -- quando a pessoa perde as esperanças na salvação , achando que sua vida já está perdida e que ela se encontra condenada antes mesmo do Juízo . Julga que a misericórdia divina é pequena. Não crê no poder e na justiça de Deus.

2º - Presunção de salvação , ou seja , a pessoa cultiva em sua alma uma idéia de perfeição que implica num sentimento de orgulho . Ela se considera salva , pelo que já fez . Somente Deus sabe se aquilo que fizemos merece o prêmio da salvação ou não. A nossa salvação pode ser perdida , até o último momento da nossa vida , e Deus é o nosso Juíz Eterno . Devemos crer na misericórdia divina , mas não podemos usurpar o atributo divino inalienável do Juízo.

O simples fato de já se considerar eleito é uma atitude que indica a debilidade da virtude da humildade diante de Deus. Devemos ter a convicção moral de que estamos certos em nossas ações , mas não podemos dizer que aos olhos de Deus já estamos definitivamente salvos.

Os calvinistas , por exemplo , afirmam a eleição definitiva do fiel , por decreto eterno e imutável de Deus.

A Igreja Católica ensina que , normalmente , os homens nada sabem sobre o seu destino , exceto se houver uma revelação privada , aceita pelo sagrado magistério. Por essa razão , os homens não podem se considerar salvos antes do Juízo.

3º - Negar a verdade conhecida como tal pelo magistério da Santa Igreja , ou seja , quando a pessoa não aceita as verdades de fé , mesmo após exaustiva explicação doutrinária. É o caso dos hereges.

Considera o seu entendimento pessoal superior ao da Igreja e ao ensinamento do Espírito Santo que auxilia o sagrado magistério.

4º - Inveja da graça que Deus dá aos outros . A inveja é um sentimento que consiste em irritar-se porque o outro conseguiu algo de bom . Mesmo que você possua aquilo ou possa ganhar um dia. É o ato de não querer o bem do semelhante . Se eu invejo a graça que Deus dá a alguém, estou dizendo que aquela pessoa não merece tal graça, me tornando assim o juíz do mundo. Estou me voltando contra a vontade divina imposta no governo do mundo. Estou me voltando contra a Lei do Amor ao próximo. Não devemos invejar um bem conquistado por alguém. Se este bem é fruto de trabalho honrado e perseverante , é vontade de Deus que a pessoa desfrute daquela graça.

5º - A obstinação no pecado é a vontade firme de permanecer no erro mesmo após a ação de convencimento do Espírito Santo . É não aceitar a ética cristã . Você cria o seu critério de julgamento ético. Ou simplesmente não adota ética nenhuma e assim se aparta da vontade de Deus e rejeita a Salvação.

6º - A Impenitência final é o resultado de toda uma vida de rejeição a Deus : o indivíduo persiste no erro até o final , recusando arrepender-se e penitenciar-se , recusa a salvação até o fim . Consagra-se ao Adversário de Cristo . Nem mesmo na hora da morte tenta se aproximar do Pai , manifestando humildade e compaixão. Não se abre ao convite do Espírito Santo definitivamente.
______________________________

Os pecados contra o Espírito Santo estão interligados. Dessa forma , negar verdades doutrinárias da Igreja e obstinar-se no erro são ações complementares . Negar uma verdade factual ou uma verdade moral da Igreja implica igualmente numa ação condenável em termos éticos e na perda da graça . Mesmo que possamos identificar uma diferença entre um herege que negue a existência da verdade moral afirmada pela Igreja e o pecador que não ignora a vigência da lei e a sua fundamentação doutrinária , mas , mesmo assim , age contrariamente a ela.

A presunção da salvação é um ato de negação de uma verdade da Igreja . Qual seja ? A possibilidade da perda da salvação até o último minuto da vida . O mesmo vale para quem já se considera condenado , negando a verdade da misericórdia infinita de Deus , tal como ensinada aos homens , o mesmo vale para a impenitência final e para quem inveja uma graça concedida por Deus aos demais membros da Igreja e assim não pratica a caridade.
______________________________________

OS PECADOS QUE CLAMAM AO CÉU são :

Não pagar o justo salário do seu empregado , oprimir viúva , velho e órfão e praticar atos contrários à natureza como homossexualismo , zoofilia e etc. Não pagar o justo salário é se apropriar do bem alheio. Oprimir viúva e velho é sumamente grave porque além do fato da opressão em geral ser pecado , oprimir pessoas frágeis é um ato de extrema covardia e finalmente praticar atos contrários à natureza é voltar-se contra a vontade expressa por Deus para a realidade criada.

Somente é possível reparar o pecado mortal com a confissão e a penitência sacramental. Quem morre em estado de pecado mortal cumprirá pena eterna no inferno. E quem está em pecado mortal não pode se aproximar da sagrada comunhão durante a santa missa para não profanar as espécies sagradas.