Busca no Site

Interativos

Receba nossas novidades



Receber em HTML?

Enquete

Celibato dos Sacerdotes
 

Compartilhe este site

Faça um pedido de oração





  
Informe o código de segurança para confirmar:
 

Senhor, ensina-nos... PDF Imprimir E-mail

Senhor Deus do Céu... do mistério... Deus que sempre descobriu meus medos... Deus que sempre perdoou meus pecados... Deus que nos deu a vida... Deus que nos obrigou a buscas... Inicia-se uma missa, e Senhor viemos rezar. Sabemos de cor as orações de criança, mas hoje viemos rezar uma prece que dói no peito e engasga a alma. Ter coragem de amar sem julgar.

É a prece que lemos nos olhos e no sofrimento daqueles que muitas vezes não vimos como filhos do teu amor e tratamos indiferentemente... viemos rezar para enfrentar os obstáculos do dia a dia, o medo do fracasso, da humilhação frente as dificuldades da vida, viemos rezar a dúvida de seguir com fé na busca de nossos ideais, sem ser corrompido pelo mundo cheio de pecado... viemos rezar para ter forças para lutar contra o irremediável, sustentado apenas por um fio de esperança. Mas, Deus é difícil rezar com lágrimas de arrependimento, de olhar para trás e ver perdido na multidão de miséria e sofrimento o ser humano que, por vezes, recusei a mão que ele me estendeu em busca de um conforto amigo.

É difícil rezar com voz amena, se por tantas vezes vou duro no compreender, dissipando esperanças com um simples gesto de descaso. É difícil rezar para que realizem os planos pessoais, sabendo que a realização está acima dos bens materiais e é paga com moedas de amor. É difícil rezar com voz humilde se o orgulho que transborda em nosso peito há muito nos sustenta. Viemos rezar Jesus, viemos pedir... ensina-nos a olhar o mundo com vossos olhos cheios de amor, a aprender com o sofrimento alheio, a enfrentar os obstáculos, a ser humilde e confiante no Seu amor e assim perseverar no caminho que escolheu para nós.

Ensina-nos a reza da esperança, da palavra amiga nas horas difíceis, a não permitir que falem de nosso irmão, e muito menos contribuir com este mal, do contentamento com dívidas de amor, ensina-nos a não ser o dono da verdade e que a compreensão seja sempre o nosso ideal. Transforma-nos com o seu amor...

G.O.M.S.Miguel